Skip to content

Alemães não veem problema em confiar nas redes 5G construídas pela Huawei

Há quase um ano, o governo dos Estados Unidos vem alertando seus aliados europeus para não permitirem a implantação de redes 5G em seus países com equipamentos de rede fornecidos pela Huawei. Nem todo mundo compartilha das preocupações dos EUA sobre esse gigante chinês. Por exemplo, a Alemanha não vê razão para abandonar os produtos da Huawei.

Huawei é a maior fornecedora de equipamentos de rede e telecomunicações do mundo – sua participação no mercado chega a 28%. Segundo os Estados Unidos, o problema é que a empresa teve origem na China, onde poderia ser usada pelo governo chinês para espionar empresas e consumidores americanos. Independentemente do fato de os EUA não terem evidências de tais atividades ou qualquer ligação entre a Huawei e os serviços de inteligência de Pequim, a atmosfera de desconfiança ainda é alimentada por funcionários do outro lado do oceano.

Muito poucos aliados dos EUA deram ouvidos a esses avisos. Por exemplo, na Alemanha, onde novos regulamentos para a construção do 5G estão sendo aprovados, não há notícias sobre a proibição do uso de dispositivos Huawei em redes planejadas. Falando em uma coletiva de imprensa em Berlim hoje, o porta-voz do governo alemão Steffen Seibert disse:

“Não tomamos decisões de proibir nenhuma empresa com base no preconceito de outra pessoa.”

As operadoras alemãs manifestaram suas objeções à ameaça de excluir a Huawei do desenvolvimento da rede 5G no país. Eles sabem que esta empresa é uma das poucas que podem ajudar na rápida adoção do novo padrão de transferência de dados. E as apostas são altas – o 5G oferecerá transferência de dados 10 vezes mais rápida que o 4G, o que é uma excelente jogada de marketing para provedores de serviços de telecomunicações.

Curiosamente, Huawei oferece licenciamento 5G para empresas americanas

De acordo com os novos regulamentos, as operadoras alemãs – Deutsche Telekom, Vodafone e Telefonica Deutschland eles terão que aplicar padrões de segurança mais elevados a partes-chave de suas redes. Fornecedores como a Huawei precisarão ser certificados pela autoridade de segurança cibernética da Alemanha, o Escritório Federal de Segurança da Informação (BSI). Se o equipamento de qualquer fornecedor for usado para espionagem, ele poderá ser banido e processado por danos pelos operadores.

Ver agora:  Falha no Play, Plus, T-Mobile e ING? Usuários relatam problemas

Com exceção dos EUA, Austrália e Japão, o uso de dispositivos de rede Huawei em outros países não é proibido. As operadoras britânicas deram ao Parlamento sua opinião de que deveria se concentrar na promessa de crescimento econômico com 5G e simplesmente permitir que equipamentos da Huawei sejam usados ​​em redes 5G nacionais.

EUA em desespero

O Reino Unido, assim como os próprios EUA, sabem bem que a Huawei é uma das poucas empresas que tem conhecimento tecnológico para lançar e manter redes 5G. Recentemente, Donald Trump quis criar competição para os chineses – a administração do presidente teria contatado sobre o assunto Cisco e oráculo, mas ambas as empresas (afinal – enormes) recusaram, alegando que leva tempo e muito dinheiro para desenvolver a tecnologia certa e entrar no setor de redes. As autoridades americanas estavam até dispostas a subsidiar a Nokia e a Ericsson, desde que a Huawei não fortalecesse sua posição.

Como você pode ver, todos esses esforços não dão muito – a maioria dos países da Europa pretende usar a infraestrutura de rede baseada em equipamentos Huawei, e Trump não poderá fazer nada a respeito.

Os oponentes do 5G tentaram desmantelar a estação base em Cracóvia. A polícia interveio

fonte: Reuters por Arena do telefone